quarta-feira , 26 julho 2017
Poeta brasileiro faz performance em Creta nesta sexta-feira, com transmissão pelo Facebook
O poeta Rafa Carvalho em sua caminhada diária ao lado do mar de Creta (Foto Politakis Manos)

Poeta brasileiro faz performance em Creta nesta sexta-feira, com transmissão pelo Facebook

Maior ilha da Grécia, território imemorial de importantes referências para a cultura a religiosidade do Ocidente, Creta é o cenário da performance “Thalassopóros – ou pelos poros do Mar”, que o poeta brasileiro Rafa Carvalho protagoniza nesta sexta-feira, 17 de março, e que pode ser acompanhada em qualquer lugar do planeta pela transmissão ao vivo pelo Facebook, a partir das 16h45 no horário de Brasília. Nascido em Mauá, Rafa Carvalho passou a viver logo cedo em Campinas, onde está há anos, entre uma e outra estadia internacional, e anuncia, para a performance na mitológica Creta, uma mescla de elementos cênicos, poéticos e musicais, prometendo levar o mar, “inclusive os nossos, brasileiros”, para dentro do coração do público grego.

O poeta Rafa Carvalho encontra-se em Creta  para um período de um mês na cidade de Heraclião, a convite de projeto “ResidenceSEA”, idealizado pela artista italiana Michela Pelusio, que descobriu uma antiga taverna a beira-mar na cidade e fez dali sua casa por quatro anos. Com sua saída para viver em outro país, o projeto, de residência artística, se consolidou e hoje a casa recebe artistas do mundo todo, para períodos de pesquisa, criação e partilha com a comunidade local.

Como pesquisa intensamente o mar nesses últimos dois anos, Rafa não poderia ter recebido convite melhor e em hora mais oportuna. O poeta tem o mar no seu quintal, a dez metros da casa com 7 janelas de frente para onde está residindo. A vida, relata Rafa, tem sido caminhar meia hora todas as manhãs pela orla e comprar peixe fresco dos próprios pescadores no pequeno mercado do centro.

O poeta na casa onde cumpre residência artística: o primeiro latino-americano no projeto (Foto Palió Náftis)

O poeta na casa onde cumpre residência artística: o primeiro latino-americano no projeto (Foto Palió Náftis)

E cuidar da casa, das criações e, claro, tomar um “banho arrepiante” de mar todos dias. “Os dias têm sido lindos e de Sol, mas a temperatura ainda é baixa e as águas, geladas, pelo duro inverno europeu desse ano”, conta o poeta, que garante não estar querendo fazer inveja nos amigos que ficaram no Brasil de verão escaldante.

“Nunca havia passado tanto tempo seguido ouvindo, assim, o som do mar sem parar”, diz Rafa, primeiro artista latino-americano a participar do projeto e que, para sua apresentação na casa, nessa sexta-feira 17 de março, preparou a performance “Thalassopóros – ou pelos poros do Mar”. O evento pode ser acompanhado pelo Facebook: https://www.facebook.com/rafacarvalho.br O poeta conta estar fazendo parcerias interessantes com músicos, fotógrafos e cineastas da região e se apresentado também em outros espaços da cidade.

Após a experiência em Creta, o poeta segue sua turnê mediterrânea com passagem e apresentações por Salônica e Atenas, ainda na Grécia. E em Veneza, Riva del Garda, Milão, Bosa e Roma, na Itália, por onde deve também iniciar seu novo projeto de navegação, se aventurando por uma semana entre as ilhas italianas.

Uma das fotos do próprio Rafa Carvalho, de sua exposição "Coleção de quintais", que inaugura também neste dia 17 de março

Uma das fotos do próprio Rafa Carvalho, de sua exposição “Coleção de quintais”, que inaugura também neste dia 17 de março

Inquieto por natureza, Rafael “Rafa” Manfrinatto de Carvalho é formado em Educação Física mas há muitos anos trabalha com arte, em várias linguagens: circo, teatro, poesia. Sua imersão na poesia foi amadurecendo enquanto rodou o mundo: Japão, Dinamarca e outros países da Europa. Ele estava em Madri no famoso 15 de maio de 2011, data da manifestação dos “indignados” espanhóis na Puerta del Sol, uma das respostas europeias à Primavera Árabe, ante-sala dos movimentos de junho de 2013 no Brasil.

Algo estava no ar e, na volta ao Brasil, a determinação de promover a cultura, as artes, onde o povo está. Daí o Sarau da Dalva, que idealizou para o Bar do Manoel – Estrela Dalva, de sua família, em Campinas. E daí vários eventos em que a poesia está sempre presente. A poesia que agora o levou para Creta (“Kriti”, em grego) e logo em seguida para outras paradas. Ele não tem parada, a sua pátria é a poesia, com a marca da diversidade brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>