Capa » Cultura Viva » Sarau da Dalva completa quatro anos de resistência neste dia 13 de junho
Sarau da Dalva completa quatro anos de resistência neste dia 13 de junho
Sarau da Dalva, 4 anos de muitas histórias (Foto Larissa Machado)

Sarau da Dalva completa quatro anos de resistência neste dia 13 de junho

Nesta quarta-feira, 13 de junho, o Sarau da Dalva comemora 4 anos de existência e resistência em Campinas. O projeto é uma iniciativa de Rafa Carvalho, mas que segundo o poeta só faz sentido coletivizando-se. De fato, com o lema “uma estrela sozinha não faz constelação”, o trabalho hoje é o resultado de interações várias, com parcerias diversas e pessoas envolvidas em diferentes graus, mas todas fundamentais para a realização dos encontros.

O Sarau acontece no Bar do Manoel, pai de Rafa, batizado de Estrela Dalva após o falecimento de Dona Dalva, mãe e vó dos mesmos, na Bahia. Dalva também batiza o encontro. Segundo toda a equipe que compõe a base do trabalho hoje, trata-se de uma reverência às nossas raízes e de uma abordagem matriarcal de cultura, pensamento e convivência. Embora o bar seja de Seo Manoel e a ideia tenha se materializado a partir de Rafa, eles contam o quanto as mulheres sempre foram maioria e imprescindíveis em todo processo. No bar em si, Manoel conta com a o apoio fundamental de Sil, sua esposa, e a casa já contou e conta atualmente com muitas mulheres, como Bia, Maria e Benê, que trabalham por lá e são grandes conhecidas do público que frequenta o estabelecimento no dia a dia e em suas intervenções culturais. Outras mulheres como a cozinheira “Chefinha”, já falecida, com anos e anos de casa, e Márcia, mãe de Rafa, compõem fortemente a história do lugar.

Mauricio Pereira (foto Rui Mendes)

Mauricio Pereira (foto Rui Mendes)

Já o filho conta com a parceria de Sabrina Sanfelice em toda sua atuação artística de modo geral. E pelo Sarau, além de Sabrina, nomes como Aline Turim, Letícia Benevides, Giovana Pellatti, Adriana Aparecida, Pamella Vidal, Josiane Giacomini, Flá Perez, Naiê Marques, Simone e Sofia Silva, Carina Barjud são parte imprescindível do processo, dentre tantas outras. “(…) Há no Dalva uma relação muito forte com o ‘Yin’, esse aspecto energético feminino, que não tem a ver unicamente com gênero, mas se expressa muito nele, e que se relaciona a caraterísticas maternais, ternas, de acolhimento e afeto, de escuta e amor, que buscamos aqui no Sarau”, nos conta o idealizador.

São 44 edições com a de hoje. Mais de 40 livros lançados, mais de 40 exposições e performances diversas, sempre com as artes integradas e inclusão de pessoas. No Sarau da Dalva, a senhora do bairro, artesã quando pode ou por necessidade é vista como a artista plástica premiada, todas com o mesmo e com muito valor. O espaço é de voz a todas e conta ainda com números curiosos e impressionantes como este: mais de 1 tonelada de jiló, distribuída gratuitamente ao longo desses anos.

Rafa Carvalho, idealizador do Sarau da Dalva (Foto Marina Barbim)

Rafa Carvalho, idealizador do Sarau da Dalva (Foto Marina Barbim)

Nesta quarta, quem vem para a festa é o compositor e grande artista Maurício Pereira. Acompanhado por Tonho Penhasco, Maurício, que é um ícone da música independente brasileira, além de participar do Sarau como qualquer pessoa, faz uma apresentação com canções de seu mais recente trabalho “Outono no Sudeste”, recém lançado, junto com outros tantos títulos de sua longa e consolidada carreira. A visita faz parte das “ousadias” do projeto, que pretende, a um só tempo, igualar todas as pessoas em valor humano – com “todas no mesmo chão”, como diz o poeta – e promover esses encontros, e, também, esses acessos à cultura, propiciando o contato da comunidade local e do público interessado e presente, com grandes referências da arte, da cultura brasileira e do mundo, gerando fruição, permuta; inspiração.

Este 2018 de “ousadias” vem contando também com uma identidade visual desenvolvida em parceria com o designer Jonathan Machado, inspirada na Literatura de Cordel, desde sempre, uma influência forte para o Sarau, que é pleno de raízes e influências nortistas e nordestinas. E para o aniversário, o grande parceiro do evento e da casa Samuel de Monteiro, cordelista paraibano radicado na cidade, idealizador do Sarau de Boteco, preparou uma surpresa especial: o Sarau da Dalva em Cordel, para presentear ao projeto e a todo público presente. Os livretos serão oferecidos gratuitamente a todas as pessoas, assim como o jiló, os caldos e o bolo de fubá com queijo, que é a tradição dos aniversários no bar. A capa é assinada pelo artista J Borges, referência da Xilogravura no Brasil, que também trabalha atualmente numa obra intitulada Sarau da Dalva, feita em homenagem ao evento, de cuja matriz será enviada para constar na parede de lembranças do bar, um “memorial de constelação”, juntando obras artísticas, recados e ideias de todas as pessoas que passaram pelo projeto, que começa a ser construído nessa virada de ciclo.

Samuel de Monteiro (Foto Divulgação)

Samuel de Monteiro (Foto Divulgação)

“São muitas pessoas que já passaram por este trabalho, cada qual a seu modo, seu tempo, sua luz e todas igualmente importantes (…)”, conta o idealizador deste projeto que segue surpreendendo, pela capacidade de agregar diversidades e contradições, de anarquia a espiritualidade, simplicidade a sofisticação, tradição e o novo sempre, festa e luta. É notório como o trabalho alcançou o reconhecimento da prefeitura de Campinas, da Academia Campinense de Letras e da Secretaria de Cultura do Governo do Estado, sem deixar de estar nitidamente ao lado da comunidade, com uma abordagem nada conservadora de arte, poesia e literatura. Segundo Rafa: “(…) O Sarau é mesmo um evento sincrético. Aliás, é uma baita sorte comemorar um aniversário num dia de Santo Antônio. Nossa ideia de anarquia, vem de uma ideia que valoriza o indivíduo por um coletivo possível. Todas nós precisamos ser protagonistas de nosso processo humano e planetário. Partilhar dessa corresponsabilidade. O Dalva não pode depender de mim, nem de ninguém específico, sua gestão precisa ser coletiva e orgânica. Isso é constelação: o brilho de cada qual – e toda gente brilha – em favor de um brilho único, maior. Um esquema nosso. Espaço de amor e suas derivações, onde nossa convivência harmoniosa e nossas diversidades, possam se dar. Não somos contra nenhum tipo de órgão, instituição, governo. Ao contrário. Somos a favor do povo, da gente. Todo mundo. E entendemos que todo órgão, instituição, governo, deva ser representativo disto, também. Logo, não atuamos contra nada. Mas em favor disto. Esta harmonia, que uns dizem utópica. Não é preciso trabalhar contra o desamor. Basta ser o amor, nosso trabalho.”

E assim o Sarau da Dalva cumpre mais um ano. O projeto conta ainda com o apoio do Programa de Ação Cultural, com apoio do povo paulista, através de seu Governo do Estado e sua Secretaria de Cultura. A noite terá também a intervenção “Bom Inverno” em que Rafa pretende apresentar uma canção inédita de 10 anos atrás, usando o fato pra falar de tempo, em uma “retroperspectiva”, para contar do Dalva, de sua história com Maurício Pereira e de muitas coisas mais. O evento é de entrada e participação livres e gratuitas. A partir das 19h, no Bar do Manoel – Estrela Dalva.

Serviço:

Sarau da Dalva – 4 anos!

Bar do Manoel – Estrela Dalva

Av. Lafayete Arruda Camargo, 767. Parque São Quirino. Campinas – SP

Tel.: (19) 3296 4912

Facebook:

https://www.facebook.com/saraudadalva

https://www.facebook.com/bardomanoel.estreladalva/

Instagram: @saraudadalva / @bardomanoelestreladalva

Sobre ASN

Organização sediada em Campinas (SP) de notícias, interpretação e reflexão sobre temas contemporâneos, com foco na defesa dos direitos de cidadania e valorização da qualidade de vida. Já ganhou os prêmios de jornalismo: FEAC (2015), Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros (2016), ABAG-Ribeirão Preto "José Hamilton Ribeiro" de Jornalismo (2017) e Prêmio INEP de Jornalismo (2017).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>