Capa » Blog Cultura Viva » LISBOICES: Uma praga mundial desembarca em Portugal
LISBOICES: Uma praga mundial desembarca em Portugal
Patinete vai alimentar turismofobia em Portugal? (Foto Eduardo Gregori)

LISBOICES: Uma praga mundial desembarca em Portugal

Por Eduardo Gregori
Vi na internet uma foto de uma pequena frota de patinetes estacionados em uma rua do Cambuí e, imediatamente me lembrei desta praga que está a invadir o mundo. Aqui se chamam trotinetes e estão espalhados por toda Lisboa.
Não vejo problema algum em uma cidade oferecer ao seu visitante esta comodidade, até porque alguns são até de uso gratuito, assim como as bicicletas. O problema é o descontrole da utilização deles por parte dos turistas.
Estamos quase no fim do Inverno e eu havia pensado que a pressão do turismo diminuiria um pouco, mas este ano parece estar sendo atípico, com muitos dias de sol, pouca chuva e temperaturas moderadas. Então, Lisboa está tomada por turistas desde o verão passado.
Muitas pessoas que usam os trotinetes parecem não ter bom senso. Na Ribeira das Naus e seguindo até Belém existe uma faixa exclusiva para quem está sobre rodas. Mas as pessoas insistem em andar pelas calçadas, já muito congestionadas pelos pedestres locais e visitantes. As vezes é uma luta desleal, pois ninguém vai querer ser atropelado, nem mesmo por um pequeno trotinete.
Confesso que já perdi a paciência e não saio do caminho, afinal, estou na calçada, espaço reservado a quem está a pé. Outro dia, no Terreiro do Paço, um turista teve a pachorra de buzinar pedindo passagem em uma calçada bem estreita, cheia de gente e no horário de pico dos transportes públicos.
As pessoas estão com tamanho saco cheio dessa situação, que nem deram atenção. Ou seja, o turista teve que esperar a multidão passar pra seguir seu caminho. Mas por que não vão pela faixa de bicicletas? Não entendo.
Prevendo o desastre que será no próximo verão, a administração do espaço público em Lisboa já orientou os responsáveis por bicicletas e trotinetes sobre onde estacionar esses equipamentos. Porém, mesmo no inverno e sendo informados, empresas deixam os pequenos veículos espalhados pela cidade, dificultando ainda mais a mobilidade dos pedestres.
O que houve então? Depois de orientar e avisar, mas não ver nada a mudar, a autoridade municipal foi lá e recolheu diversos trotinetes e ainda multou as empresas que exploraram este serviço. Confesso que adorei, pois o espaço público é de todos, mas é preciso ter regras bem definidas, ou a cidade, que já vive sob forte pressão do turismo, vai se tornar um caos insustentável.
Gostaria que o turista pudesse calçar o mesmo sapato de alguém que vive na cidade que visita. Aqui em Lisboa adoramos receber gente de fora, mas desde que a visita seja, no mínimo, educada. Ou vai me dizer que você gosta de receber na sua casa alguém desrespeitoso. Um exemplo disso acontece em Barcelona, onde a turismofobia está a crescer justamente por causa do exagerado número de turistas e do caos que eles levam para a cidade.
Estou torcendo para que isso não  aconteça por aqui!

 

Sobre Eduardo Gregori

Eduardo Gregori é jornalista formado pela Pontifícia Católica de Campinas. Nasceu em Belo Horizonte e por 30 anos viveu em Campinas, onde trabalhou na Rede Anhanguera de Comunicação. Atualmente é editor do blog de viagens Eu Por Aí (www.euporai.com.br) e vive em Portugal