Governador Alckmin estará em Campinas nesta sexta-feira para discutir nova outorga do Cantareira
Cenário no Sistema Cantareira, no auge da crise hídrica, que está longe de ser equacionada (foto Adriano Rosa)

Governador Alckmin estará em Campinas nesta sexta-feira para discutir nova outorga do Cantareira

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, estará na manhã desta sexta-feira, 02 de outubro, na sede da Sanasa, em Campinas, para assinar a licitação da transposição da represa Jaguari, como um nova fonte para alimentar o Sistema Cantareira. O governador também discutirá com as lideranças locais e das bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) a nova outorga para a Sabesp continuar gerenciando o próprio Sistema Cantareira. Alckmin tem sido criticado por ambientalistas e outros segmentos pela sua atuação na crise hídrica, cuja existência foi negada pelo governo paulista durante a maior parte do tempo.

A obra prevê a transposição de águas da represa Jaguari, localizada na bacia do rio Paraíba do Sul, para a represa Atibainha, que integra o Sistema Cantareira. O projeto prevê desapropriações no município de Santa Isabel, na bacia do Alto Tietê, e em outros municípios. A previsão é de que a transposição signifique a adição de mais 5 metros cúbicos, ou 5 mil litros de água por segundo para o Sistema Cantareira. A estimativa é a de que a obra fique pronta em 18 meses após o seu início. O Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (Eia-Rima) da obra foi aprovado no último dia 26 de agosto no Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema).

O secretário estadual de Recursos Hídricos, Benedito Braga, também estará presente na sede da Sanasa, em Campinas. Braga recebeu no último dia 23, em São Paulo, uma comitiva com prefeitos de Campinas e região e o Consórcio Intermunicipal PCJ, para discutir a nova outorga do Cantareira. O secretário estadual recebeu em mãos o “Manifesto pela Sustentabilidade Hídrica das Bacias PCJ”, aprovado em seminário na Câmara Municipal de Campinas dia 22 de setembro, com a posição da região sobre a nova outorga do Cantareira.

O documento reafirma que as bacias PCJ querem a liberação de 10 metros cúbicos por segundo (o dobro da atual outorga) do Cantareira. A nova outorga duraria dez anos, mas com revisão em cinco, para verificar se as condicionantes foram cumpridas. Uma delas é a construção das represas de Duas Pontes e Pedreira, como novas fontes para ampliar a segurança hídrica nas bacias PCJ. O governador Alckmin será lembrado dessas condicionantes da região, durante a visita a Campinas nesta sexta-feira. (Por José Pedro Martins)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>