Carol Ladeira apresenta o seu “Mar de Vento” neste sábado à tarde no SESC-Campinas
Carol Ladeira brinda o público com o Mar de Vento (Foto Guilherme Johnston)

Carol Ladeira apresenta o seu “Mar de Vento” neste sábado à tarde no SESC-Campinas

“Mar de Vento” é o nome do show que Carol Ladeira apresenta neste sábado, dia 20 de maio, às 16h30, no SESC-Campinas. Samba, candomblé, ijexá e outros ritmos estão no roteiro do show de apresentação única e imperdível na cidade. Os ingressos estão à venda entre R$ 5 e R$ 17.

No palco, além de Carol Ladeira, a plateia aprecia a performance de um trio de músicos de primeira: Edu Guimarães (sanfona e piano), Gustavo Medeiros (violão de sete cordas, bandolim e guitarra) e Gabriel Peregrino (percussão). Os músicos, além do percussionista Chico Santana, participaram da gravação do álbum que deu origem a essa apresentação única do show Mar de Vento. Detalhe importante: o CD, que estará à venda no local por R$ 20, foi patrocinado pelo edital campineiro FICC (Fundos de Investimentos Culturais de Campinas).

“O show, bem como a gravação do disco, é fruto da nossa parceria. A convivência começou em 2010, durante as apresentações do meu primeiro CD, o Quitanda. Em Mar de Vento, aprofundamos a nossa conversa musical, mostrando o que temos em comum e o que cada um tem de muito particular. Nesse  novo encontro, ouvimos a força refinada das percussões de Gabriel Peregrino e de Chico Santana. São variados e potentes tambores até instrumentos delicados como a kalimba. Há a fertilidade de ideias de Edu Guimarães na sanfona, ao piano e nas percussões, e a riqueza de possibilidades de Gustavo de Medeiros, transitando pelo violão de 7 cordas, pelo bandolim, pela guitarra e também pela percussão”, destaca Carol.

Durante o show Mar de Vento, conduzido pela voz vibrante de Carol Ladeira, a plateia desfrutará de 13 canções que vêm justamente celebrar ritmos de influência afro, poesia e apreço ao cancioneiro popular. De ijexás e afoxés, a cantora promete Jangadeiro (Chico Santana), Peço a Olorum (Carlinhos Campos, Diogo Nazareth e Rafael Yassuda), Pontos de Iemanjá (Domínio Público) e Canto (Gustavo Infante). De toque afro ainda se destaca Cavalo de Santo (Guto Leite). Nesse sentido, como pontua a cantora, os mais diferentes ouvidos poderão identificar nas músicas “o contraste entre as sutilezas e as pancadas”.

O samba se faz representado por Senhora da Dança (Gustavo de Medeiros e Paula D’Ajello), Descendo a Ladeira (Chico Santana) e A Maldade Não Tem Fim (Douglas Germano). Contrapé (Douglas Germano), por sinal, é um candombe. Em compensação, Pássaro Solto (Paulo Cesar Pinheiro e Vicente Barreto), Bom Floral (Déa Trancoso), Aylan Kurdi (Eduardo Klebis) e Tempodestino (Nilson Chaves e Vital Lima) são canções. “Esse repertorio é um reflexo da riqueza da nossa música brasileira atual, da qualidade dos nossos compositores e músicos contemporâneos. É abrir os ouvidos e constatar: tem muita música maravilhosa sendo feita!”.

Quanto ao nome de batismo: Mar de Vento, Carol o relaciona com a passagem do tempo. “Trata-se de um agradecimento poético ao tempo e, como diz o poeta, ‘com tudo que ele tem de primavera, de valente esperança e de rebeldia’. Uma reflexão sobre o momento atual em que vivemos e que nos pede transformação, reinvenção de nós mesmos e de nossas relações. E a música pode ajudar nesse movimento. A canção brasileira tem uma importância muito grande em nos ajudar a refletir nossa história. E as canções estão aí, querendo ser cantadas. Nosso trabalho é esse: pinçar o que percebemos que é importante ser contado e dar vida à canção”, avalia.

A artista

Nascida no Rio de Janeiro, “num dia de sol e chuva”, como gosta de contar, a cantora Carol Ladeira está radicada em Campinas há 15 anos. Começou no teatro, palco em que descobriu a música e por ali ficou. Não por acaso, estudou Canto Popular, na Unicamp, e prosseguiu os estudos com um Mestrado na área de Artes da Cena. Em 2017, prepara-se para lançar o livro Cantar como prática da Liberdade.

O primeiro álbum da carreira, batizado de Quitanda, foi gravado em 2010, com direção musical de Kiko Dinucci e Marcelo Pretto. Três anos depois, integrada no projeto Quinteto Coloquial, gravou ritmos populares brasileiros e linguagens ligadas ao jazz. No mesmo ano, participou do álbum Esticador de Horizontes, com o grupo CantaVento. Em 2014, dentro do projeto Angudadá, celebrou a gravação de um DVD e um CD. Em 2017, a partir de inúmeros encontros musicais, lançou Mar de Vento.

 

SAIBA MAIS

O quê: Show Mar de Vento, de Carol Ladeira Quando: Sábado (20/5), às 16h30 Onde: Teatro do Sesc Campinas (Rua Dom José I, 270/333, Bonfim, em Campinas/SP. Telefone: 19 – 3737-1500) Quanto: R$17 (inteira), R$8,50 (meia) e R$5 (credencial plena) Informações:  www.carolladeira.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>