Goiânia será a “capital internacional” do cinema experimental e do documentário em agosto
LA NUIT ET L’ENFANT(Estreia na América do Sul), de David Yon, França/Qatar, um dos longa-metragens da mostra competitiva (Foto Divulgação)

Goiânia será a “capital internacional” do cinema experimental e do documentário em agosto

A mobilização no Chile pela justiça no caso de um jovem de 16 anos morto por um “carabinero”, no chileno “Crónica de un Comité”, com estreia no Brasil. A cerca de arame como símbolo da opressão na América do Sul, dos antigos aos novos colonizadores, no franco-belga “Devil´s Rope”, com estreia na América do Sul. A crítica social e à violência policial no brasileiro “Aluguel: o filme”, que faz estreia mundial. Estas são algumas das 110 produções e co-produções, de 24 países, que participam – em onze mostras diferentes – do II Fronteira – Festival do Filme Documentário e Experimental, que acontece entre os dias 20 e 29 de agosto em Goiânia (GO). Um amplo panorama dos múltiplos olhares que formam hoje o cinema documental e experimental em (quase) todas as regiões do planeta. A programação é toda gratuita.

De fato, em sua segunda edição, o Fronteira – Festival do Filme Documentário e Experimental aposta em uma programação ousada, que celebra a diversidade de gêneros e formatos distribuídos em 11 mostras de cinema. Participam produções e co-produções vindas de Alemanha, Argentina, Áustria, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, França, Holanda, Itália, Letônia, México, Palestina, Peru, Portugal, Qatar, Reino Unido, Rússia, Suécia e Tailândia. O festival terá exibições no Cine Goiânia Ouro e no Cine Cultura – Sala Eduardo Benfica, em Goiânia. Faltaram apenas produções africanas.

São duas Mostras Competitivas Internacionais, uma de longas e outra de curtas-metragens. Foram selecionados 8 longas e 21 curtas que representam o que existe de mais instigante em termos de escolhas políticas e estéticas no cinema contemporâneo mundial, trazendo o filme documentário e experimental como lugares de exploração de novas linguagens. A curadoria das mostras competitivas ficou a cargo de Rafael Parrode (GO), crítico e programador, Ewerton Belico (BH), pesquisador e curador e Toni D’Angela (Itália), professor e editor da revista multilíngue La Furia Umana.

“A programação deste ano é múltipla e busca dar conta de diversas experiências e formatos de cinema, propondo novas formas de apreensão da realidade. Na seleção desse ano olhamos para o cinema sobretudo, e para a sua capacidade de se reinventar quando tudo já parece ter sido feito e refeito”, explica Rafael Parrode, que é também diretor artístico do Fronteira.

Representam novidades nesta edição o júri popular, que irá premiar o melhor longa e melhor curta na perspectiva do público e a separação dos júris oficiais de longas e de curtas. Participam do júri de longa-metragens Andrea Tonacci, um dos grandes nomes do cinema brasileiro, Aaron Cutler, crítico e programador americano, e Guile Martins, cineasta, montador e editor de som. O júri de curtas é formado por Oona Mosna, artista e escritora canadense, diretora de programação do Media City Film Festival; Juliano Gomes, crítico de cinema brasileiro, diretor e professor; e Lis Kogan, brasileira, diretora geral da Semana dos Realizadores e uma das fundadoras do Cachaça Cinema Clube, projeto voltado ao curta-metragem brasileiro que ocupou a grande sala do Odeon, no Rio, por 10 anos.
Em cada uma das Mostras Competitivas Internacional são oferecidos os seguintes prêmios: Melhor Filme (Júri Oficial), Prêmio Especial do Júri (Júri Oficial) e Melhor Filme (Júri Popular).

Seleção Oficial

A partir de um contingente de quase 700 filmes inscritos paras as mostras competitivas internacionais, o II Fronteira propõe ainda outras 3 mostras, com diferentes recortes. Formadas por produções inscritas, que chegam através do regulamento do festival, as mostras Esplendor do Mundo ou a Política da Beleza, Futuro Agora e Trangressões Queer reúnem filmes especiais, que se destacam pela sua singularidade.

Exibições especiais de filmes como Over Water de Robert Todd (em estreia mundial),Exquisite Corpus de Peter Tscherkassky, The Thought’s that Once we Had, de Thom Andersen, Psychic Driving de William E. Jones e Phantom Power de Pierre Léon (todos inéditos na América do Sul) também compõem a Seleção Oficial desta segunda edição.  Convidados vindos de várias partes do mundo estarão no festival para conversas e debates sobre os filmes.

Além disso, o II Fronteira realiza o sonho de qualquer festival de vanguarda: exibir filmes em 16mm de nomes como Bruce Baillie e Canyon Cinema Foundation, reunindo algumas das experiências mais brilhantes de cinema experimental da história em Goiânia com total exclusividade.

O II Fronteira é realizado pela Barroca, co-realizado pela UFG através do FRESTAS – Programa de Artes Integradas (apoio do PROEXT MEC/SESu). Tem apoio institucional do Governo de Goiás, Secretaria da Educação, Cultura e Esporte de Goiás através da Lei Goyazes. Conta com a parceria da Prefeitura de Goiânia, da Secretaria Municipal de Cultura de Goiânia, do Centro Cultural Goiânia Ouro, do Sesc Centro e do Cine Cultura – sala Eduardo Benfica. O apoio da Cinemateca da Embaixada da França, do Institut Français e a colaboração de Balaio Produções e Groove Orgânico também são fundamentais para realização desta nova edição. Abaixo, todos os filmes que serão exibidos na seleção oficial:

CRÓNICA DE UM COMITÉ (Estreia no Brasil), de Carolina Adriazola e José Luis Sepúlveda, Chile (Foto Divulgação)

CRÓNICA DE UM COMITÉ (Estreia no Brasil), de Carolina Adriazola e José Luis Sepúlveda, Chile (Foto Divulgação)

COMPETITIVA INTERNACIONAL DE LONGAS METRAGENS/FEATURE LENGHT INTERNATIONAL COMPETITION:

CRÓNICA DE UM COMITÉ (Estreia no Brasil) – Carolina Adriazola e José Luis Sepúlveda – Chile | 2014 | 96’

DEVIL’S ROPE (Estreia na América do Sul) – Sophie Bruneau – Bélgica/França | 2014 | 88’

LA NUIT ET L’ENFANT(Estreia na América do Sul) – David Yon – França/Qatar | 2015 | 60’

MACHINE GUN OR TYPEWRITER (Estreia na América do Sul) – Travis Wilkerson – EUA | 2015 | 73’

MAIS DO QUE EU POSSA ME RECONHECER – Allan Ribeiro – Brasil | 2015 | 72’

RUINED HEART (Estreia na América do Sul) – Khavn de la Cruz – Filipinas/Alemanha | 2015 | 73’

SUEÑAN LOS ANDROIDES (Estreia no Brasil) – Ion de Sosa – Espanha | 2015 | 61’

VIDEOFILIA (Y OTRAS SINDROMES VIRALES) – Juan Daniel Molero – Peru | 2015 | 112’

DEVIL’S ROPE (Estreia na América do Sul), de Sophie Bruneau, Bélgica/França (Foto divulgação)

DEVIL’S ROPE (Estreia na América do Sul), de
Sophie Bruneau, Bélgica/França (Foto divulgação)

COMPETITIVA INTERNACIONAL DE CURTAS METRAGENS/SHORT LENGHT INTERNATIONAL COMPETITION:

ALL THAT IS SOLID (Estreia na América do Sul) – Louis Henderson – Reino Unido | 2014 | 15’

ALUGUEL: O FILME (Estreia Mundial) – Lincoln Péricles – Brasil | 2015 | 16’

A + B = C – Steffi Braucks – Brasil | 2015 | 21’

CALGON (Estreia na América do Sul) – Stephanie Wuertz e Sasha Janerus – EUA | 2014 | 15’

CYAN (Estreia Mundial) – Julia Murray – EUA | 2015 | 7’

DETOUR DE FORCE (Estreia no Brasil) – Rebecca Baron – França | 2014 | 29’

DRAGON IS THE FRAME, THE (Estreia na América do Sul) – Mary H. Clark – EUA | 2014 | 15’

DREAM ENCLOSURE (Estreia na América do Sul) – Xin Ding – China | 2014 | 18’

HILLBROW – Nicholas Boone – França | 2014 | 32’

HUMMINGBIRD WARS, THE (Estreia na América do Sul) – Janie Gêiser – EUA | 2014 | 11’

I COMME IRAN (Estreia na América do Sul) – Sanaz Azari – Bélgica | 2014 | 50’

NIGHT WATCH (Estreia na América do Sul) – Danaya Chulphuthiphong – Tailândia | 2015 |9’

NELSA (Estreia no Brasil) – Felipe Guerrero – Colômbia | 2015 | 13’

OCCIDENTE (Estreia na América do Sul) – Ana Vaz – França | 2014 | 15’

O’ PERSECUTED (Estreia no Brasil) – Basma Alsharif – Palestina/Reino Unido | 2015 | 11’

PEN UP THE PIGS (Estreia na América do Sul) – Kelly Ghallagher – EUA | 2015 | 12’

QUINTAL – André Novais – Brasil | 2015 | 18’

VÄRN (Estreia na América do Sul) – John Skoog – Suécia | 2014 | 14’

SI MUERO LEJOS DE TI (Estreia na América do Sul) – Miguel Labastida Gonzales – México | 2015 | 9’

UNDER THE ATMOSPHERE (Estreia na América do Sul) – Mike Stoltz – EUA | 2014 | 14’

WAYWARD FRONDS (Estreia na América do Sul) – Fern Silva – EUA | 2014 | 13’

 

FORA DE COMPETIÇÃO/OUT OF COMPETITION:

HIT 2 PASS (Estreia na América do Sul) – Kurt Walker – Canadá | 2014 | 72’

RAGAZZI (Estreia no Brasil) – Raul Perrone – Argentina | 2014 | 83’

 

OVER WATER (Estreia Mundial), de Robert Todd, EUA (Foto Divulgação)

OVER WATER (Estreia Mundial), de Robert Todd, EUA (Foto Divulgação)

EXIBIÇÕES ESPECIAIS/ SPECIAL SCREENINGS:

EXQUISITE CORPUS, THE (Estreia na América do Sul) – Peter Tscherkassky – Áustria | 2015 | 19’

OVER WATER (Estreia Mundial) – Robert Todd – EUA | 2015 | 47’

PHANTOM POWER (Estreia na América do Sul) – Pierre Léon – Rússia/Portugal/França/Áustria | 2014 | 75’

PSYCHIC DRIVING (Estreia na América do Sul) – William E. Jones – EUA | 2014 | 14’

THOUGHTS THAT ONCE WE HAD, THE (Estreia na América do Sul) – Thom Andersen – EUA | 2015 | 108’

ESPLENDOR DO MUNDO, OU A POLÍTICA DA BELEZA/ SPLENDOUR OF THE WORLD, OR THE POLITIC OF BEAUTY: 

CROSS (Estreia na América do Sul) – Christophe Guerín – França | 2014 | 5’ 

HORIZON (Estreia na América do Sul) – Stephanie Barber – EUA | 2014 | 3’

L (Estreia na América do Sul) – Jacques Perconte – França | 2015 | 16’

MOVEMENT AND STILLNESS (Estreia na América do Sul) – James Edmonds – Reino Unido | 2014 | 9’

NIGHT NOON (Estreia na América do Sul) – Shambavi Kaul – EUA/México | 2014 | 12’

PROSPECTOR (Estreia na América do Sul) – Talena Sanders – EUA | 2015 | 16’

SEA OF VAPORS (Estreia na América do Sul) – Sylvia Schedelbauer – Alemanha | 2014 | 17’

TORÉ – João Vieira Torres – Brasil/França | 2015 | 15’

 

FUTURO AGORA/FUTURE NOW: DAPHNÉ HERETAKIS E KARISSA HAHN

 CECI EST UNE BOBINE TEST – Daphné Hérétakis – França/Grécia | 2008 | 3’

ICI RIEN – Daphné Hérétakis – França/Grécia | 2011 | 30’

ARCHIPELAGOS, NAKED GRANITES (Estreia na América do Sul) – Daphné Hérétakis – França/Grécia | 2014 | 25’

ASSUMPTIONS OF YOUR PHANTOM (SY) – Karissa Hahn – EUA | 2012 | 2’

REVERIES – Karissa Hahn – EUA | 2013 | 3’

IN EFFLUENCE ACCORD; EMULSION – Karissa Hahn – EUA | 2013 | 3’

EFFIGY IN EMULSION (Estreia na América do Sul) – Karissa Hahn – EUA | 2014 | 3’

INKJET 3056A (Estreia na América do Sul) – Karissa Hahn – EUA | 2014 | 5’

 

O QUE É O REAL?/WHAT IS REAL?-

 A FESTA E OS CÃES – Leonardo Mouramateus – Brasil | 2015 | 25’

TERRITORY (Estreia na América do Sul) – Eleanor Mortimer – Reino Unido | 2015 | 16’

THE OLD JEWISH CEMETERY (Estreia na América do Sul) – Sergei Loznitsa – Holanda/Letônia | 2014 | 20’

UNE PARTIE DE NOUS S’EST ENDORMIE (Estreia na América do Sul) – Marie Moreau – França | 2015 | 45’

 

Mostras anteriormente divulgadas:

RETROSPECTIVA BRUCE BAILLIE & CANYON CINEMA:

TUNG Bruce Baillie – EUA |1966 | 5’; QUICK BILLY – Bruce Baillie – EUA | 1970 | 55’; VALENTIN DE LAS SIERRAS – Bruce Baillie – EUA |1968 |10’; CASTRO STREET – Bruce Baillie – EUA |1966 | 10’; HERE I AM – Bruce Baillie – EUA |1962 | 10’; MASS FOR THE DAKOTA SIOUX – Bruce Baillie -EUA |1964 | 24’; TO PARSIFAL – Bruce Baillie – EUA |1963 | 13’; QUIXOTE – Bruce Baillie – EUA |1965 | 43’ – MOTHER’S DAY – James Broughton – EUA | 1948 | 15’; THIGHT LINE LYRE TRIANGULAR – Stan Brakhage – EUA | 1961 | 5’; OH DEM WATERMELONS – Robert Nelson – EUA |1965 | 11’; T,O,U,C,H,I,N,G – Paul Sharits – EUA |1968 | 12’; HARMONICA – Larry Gottheim – EUA | 1971 | 11’; TOUCH TONE PHONE FILM – Bill Brand – EUA | 1973 |8’; IN TITAN’S GOBLET – Peter Hutton – EUA | 1991 | 10’; RUBY SKIN – Eve Heller – EUA |2005 |5’; SONG – Nathaniel Dorsky – EUA | 2013 | 19’

RETROSPECTIVA SYLVAIN GEORGE:

NO BORDER (ASPETTAVO CHE SCENDESSE LA SERA) – Sylvain George – França | 2008 |23’; L’IMPOSSIBLE – PAGES ARRANCHÉES – Sylvain George – França | 2009 |95’; QU’ILS REPOSENT EN REVOLTÉ – Sylvain George – França | 2010 |153’; LES ÉCLATS – Sylvain George – França | 2011 |84’; VERS MADRID – THE BURNING BRIGHT – Sylvain George – França | 2012/2014 |106’

CINEASTAS NA FRONTEIRA/ FILMMAKERS AT THE BORDER – YERVANT GIANIKIAN E ANGELA RICCI LUCCHI

PRIGIONIERI DELLA GUERRA – Yervant Gianikian e Angela Ricci Lucchi – Itália |1995 | 60’; SU TUTTE LE VETTE È PACE – Yervant Gianikian e Angela Ricci Lucchi – Itália |1999 | 72’; OH! UOMO – Yervant Gianikian e Angela Ricci Lucchi – Itália |2004 | 71’

CINEASTAS NA FRONTEIRA/ FILMMAKERS AT THE BORDER – LEWIS KLAHR  

FALSE AGING – Lewis Klahr – EUA | 2008 | 15’; LETHE – Lewis Klahr – EUA |2009 | 23’; A THOUSAND JULYS – Lewis Klahr – EUA |2010 | 6’; APRIL SNOW – Lewis Klahr – EUA |2010 | 10’; THE RAIN COUPLETS – Lewis Klahr – EUA |2012 |14’; THE OCCIDENTAL HOTEL (Estreia na América do Sul) – Lewis Klahr – EUA |2014 | 26’

 

CINEASTAS NA FRONTEIRA/ FILMMAKERS AT THE BORDER – LEO PYRATAFILME PORNOGRAFIZME – Leo Pyrata – Brasil |2010 | 9’; ÉLÉGIE À RIMBAUD – Leo Pyrata – Brasil |2010 | 7’; CUAUTÉMOC – Leo Pyrata – Brasil |2012 | 10’; PASSAGEM: DRONELAPSE PRA WALTER BENJAMIN – Leo Pyrata -Brasil |2012 | 4’; O CURTA DOS FESTIVAIS – Leo Pyrata – Brasil |2013 | 15’;IMHOTEP (Estreia mundial) – Leo Pyrata – Brasil | 2015 | 12’

 

CADMUS E O DRAGÃO – MARTINS MUNIZ E O SISTEMA COOPERAÇÃO AMIGOS DO CINEMA / CADMUS AND THE DRAGON – MARTINS MUNIZ AND THE FRIENDS OF CINEMA COOPERATION SYSTEM PROGRAM

FRAGMENTOS – Martins Muniz – Brasil | 2000 | 15’; O MATUTO OU DOIS DIAS E MEIO – Martins Muniz – Brasil | 2001 | 62’; DIABO VELHO, O ANHANGUERA – Martins Muniz – Brasil | 2002 | 61’; NÓ NA TRIPA (Estreia mundial) – Martins Muniz – Brasil | 2015 | 23’

 

TRANSGRESSÕES QUEER/QUEER TRANSGRESSIONS

COMO ERA GOSTOSO MEU CAFUÇU – Rodrigo Almeida – Brasil | 2015 | 14’; INNOCENTS, THE (Estreia na América do Sul) – Jean Paul Kelly – Canadá | 2014 | 13’; NOVA DUBAI – Gustavo Vinagre – Brasil | 2014 | 53’

MINAS SUBTERRÂNEAS: TONS DO ESPECTRO SE ELEVAM PARA O OLHAR – CINEMA DOS ARTISTAS CANADENSES NA AMÉRICA DO SUL / UNDERGROUND MINES: HUES OF THE SPECTRUM RISE FROM VIEW – CANADIAN`S ARTISTS IN SOUTH AMERICA

21-87 – Arthur Lipsette – Canadá | 1964 | 10’; BROUILLARD – PASSAGE #14 – Alexandre Larose – Canadá | 2014 | 10’; HANDTINTING – Joyce Wieland – Canadá | 2067 | 6’; LUNAR ALMANAC – Malena Szlam – Canadá | 2013 | 4’ ; SEA SERIES #8 – John Price – Canadá | 2010 | 3’; STANDARD TIME – Michael Snow – Canadá | 1967 | 8’; THE ACROBAT – Chris Kennedy – Canadá | 2007 | 6’; TREES OF SYNTAX, LEAVES OF AXIS – Daichi Saito – Canadá | 2009 | 10’; VIEW OF THE FALLS FROM THE CANADIAN SIDE – John Price – Canadá | 2006 | 7’; WATCHING FOR THE QUEEN – David Rimmer – Canadá | 1973 | 11’

MACHINE GUN OR TYPEWRITER (Estreia na América do Sul) Travis Wilkerson  EUA

MACHINE GUN OR TYPEWRITER (Estreia na América do Sul)
Travis Wilkerson
EUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>