Capa » Centros Urbanos » Uma das causas principais da proliferação do Aedes, atraso no saneamento foi omitido em ato em Campinas
Uma das causas principais da proliferação do Aedes, atraso no saneamento foi omitido em ato em Campinas
Ato nacional contra a dengue reuniu representantes da União, Estado e municípios em Campinas (Foto Jose Pedro Martins)

Uma das causas principais da proliferação do Aedes, atraso no saneamento foi omitido em ato em Campinas

O déficit histórico no saneamento básico é uma das principais causas da proliferação do Aedes aegypti mas essa grave lacuna na infraestrutura não foi sequer mencionada nos discursos oficiais dos participantes no ato do dia nacional contra o mosquito, realizado na manhã deste sábado, 13 de fevereiro, na entrada da Lagoa do Taquaral, em Campinas. O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e todos os outros que se pronunciaram não citaram a urgência da melhoria substancial no saneamento básico, como medida essencial de combate ao Aedes e as quatro doenças a ele associadas: dengue, Zika Vírus, chikungunya e febre amarela.

Todos os discursos foram centrados nos necessários esforços para a erradicação dos criadouros do Aedes e para a busca de vacinas e outros recursos tecnológicos contra a propagação do mosquito. O secretário municipal de Saúde de Campinas, Carmino de Souza, apontou como prioridades neste momento a eliminação dos criadouros e a atenção cuidadosa aos atingidos por qualquer uma das doenças transmitidas pelo mosquito. A busca de vacinas e outros recursos tecnológicos representa “importante e necessária evolução científica”, mas são iniciativas que “demoram um pouco”, acentuou.

Por sua vez, o secretário estadual da Saúde, David Ewerson Uip, pediu cautela na imediata associação entre o Zika Vírus e o surto de microcefalia, que tem ocorrido sobretudo no Nordeste. “Existem muitos dados e informações que estão circulando, que não podem ser hiperestimados mas também não subestimados”, pediu o secretário.

O ministro Aldo Rebelo evidenciou a importância da mobilização nacional contra o Aedes, com a participação de mais de 220 mil soldados do Exército, citando o fato de que 70% dos casos de contaminação pelo mosquito ocorrem no interior das residências ou no quintal. “É muito importante e fundamental essa união nacional”, disse o ministro.

Último a se pronunciar, o governador Geraldo Alckmin disse que a luta contra o Aedes aegypti “é uma luta nacional, uma luta da nação, que é a nossa língua portuguesa, a nossa cultura, a alma da nação”, devendo portanto envolver toda a sociedade. O governador observou que “as arboviroses transmitidas pelo mosquito são típicas de um país tropical, e portanto todo esforço deve ser feito até março ou abril, período de calor e chuva. A luta é agora, imediata, é uma luta em defesa da vida”, frisou.

Alckmin justificou a sua presença em Campinas, no dia nacional de combate ao Aedes aegypti. “Campinas é uma emulação do que ocorre no Brasil, é um exemplo. Há um século Campinas viveu uma epidemia de febre amarela e venceu”, afirmou o governador. (Por José Pedro Martins)

FEBRE AMARELA EM CAMPINAS

A epidemia de febre amarela no final do século 19, com foco principal em 1889, o ano da Proclamação da República, devastou Campinas. A cidade viveu o que historiadores denominaram “um estado de sítio sanitário” e recebeu a solidariedade de muitos locais, como o Rio de Janeiro, em uma grande campanha em favor das vítimas.

A Praça Imprensa Fluminense, no Centro de Convivência Cultural, tem esse nome em homenagem à campanha de jornais da então capital federal pelas vitimas da febre amarela em Campinas.

A epidemia motivou esforços importantes por investimentos em saneamento básico na cidade, que chegou a ter uma das primeiras estações de tratamento de esgoto no Brasil, na altura do atual encontro das avenidas José de Sousa Campos (Norte-Sul) e Orosimbo Maia. O famoso sanitarista Saturnino de Brito atuou na implantação de medidas de saneamento em Campinas entre o final do século 19 e início do século 20.

Sobre ASN

Organização sediada em Campinas (SP) de notícias, interpretação e reflexão sobre temas contemporâneos, com foco na defesa dos direitos de cidadania e valorização da qualidade de vida. Já ganhou os prêmios de jornalismo: FEAC (2015), Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros (2016), ABAG-Ribeirão Preto "José Hamilton Ribeiro" de Jornalismo (2017) e Prêmio INEP de Jornalismo (2017).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>