Capa » Ecodesenvolvimento » Brasil tem mais de 4 mil queimadas em dois dias e metade acontece no Cerrado
Brasil tem mais de 4 mil queimadas em dois dias e metade acontece no Cerrado
Queimadas avançam pelo país, em tempos de estiagem prolongada em várias regiões (Foto José Pedro Martins)

Brasil tem mais de 4 mil queimadas em dois dias e metade acontece no Cerrado

Mais da metade das 4 mil queimadas registradas nos últimos dois dias no Brasil acontece no Cerrado, justamente o bioma mais afetado pela devastação no país, conforme alertou documento da a COP-12, décima segunda reunião dos países que assinaram a Convenção da Diversidade Biológica (CDB), encerrada nesta sexta-feira, 17 de outubro, em Pyeongchang, na Coréia do Sul.

Tocantins, no coração do Cerrado brasileiro, tem sido afetado especialmente pelas queimadas nos últimos dois dias, segundo dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE). Conforme o monitoramento do INPE, três dos cinco municípios com maior número de queimadas nas últimas 48 horas no país são de Tocantins: Formoso do Araguaia (48 pontos de queimada), Paraná (32) e Lagoa da Confusão (24).

Os outros dois municípios entre os cinco são Corumbá, no Mato Grosso do Sul, com 42 focos, e Mansidão, na Bahia, com 29.

O documento “Perspectiva Mundial sobre a Diversidade Biológica 4″, lançado em Pyeongchang, na Coréia do Sul, afirma que no Cerrado “as taxas de desmatamento continuam altas”. Mais de 50% do Cerrado já foram desmatados e convertidos em área agrícola, nota o documento. O relatório observa que “os aumentos projetados na produção agrícola do Brasil podem ser obtidos facilmente dentro da área existente dedicada a cultivos e terras de pastagem com aumentos plausíveis na produtividade destas terras, permitindo a restauração florestal”.

Segundo maior bioma brasileiro, com 2 milhões de quilômetros quadrados e cobrindo 22% do território nacional, o Cerrado passa por muitas ameaças, como o aumento do desmatamento e o avanço da fronteira agrícola para exportação de grãos e pastagem para gado bovino.

39% do território correspondem a áreas com uso humano e 0,60% são cobertos por água. A vegetação nativa florestal responde por 37% do território e a vegetação nativa não florestal, por 23%. De fato, o Cerrado é o bioma mais ameaçado pela expansão da fronteira agrícola, que tem ocorrido de forma acelerada no Brasil. Entre 1940 e 2006, a área total com atividades agropecuárias no Brasil cresceu de 1,5 milhão para 2,5 milhão de quilômetros quadrados, segundo o IBGE. Com 11 mil espécies de plantas nativas, sendo 4.400 endêmicas, o Cerrado é a savana mais rica em biodiversidade no planeta.

A  COP-12, décima segunda reunião dos países que assinaram a Convenção da Diversidade Biológica (CDB), foi encerrada nesta sexta-feira, em Pyeongchang, na Coréia do Sul, com o conjunto de países se comprometendo a intensificar ações para alcançar, até o final da década, as Metas de Aichi de Biodiversidade, aprovadas há quatro anos, e contribuir para a agenda de desenvolvimento sustentável. Um dos principais resultados da COP-12 foi o acordo entre os governos sobre os recursos financeiros para apoiar a execução do Plano Estratégico, que objetiva colocar em pratica as Metas de Aichi, metas estabelecidas para a proteção da diversidade biológica, conforme previsto na Convenção.

Sobre José Pedro Soares Martins

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>