Embrapa Satélite tem ferramentas para agricultura enfrentar crise hídrica
Édson Luis Bolfe: tecnologias para a agricultura sustentável (Fotos Martinho Caires)

Embrapa Satélite tem ferramentas para agricultura enfrentar crise hídrica

A atual crise hídrica, que afeta a região mais rica e populosa do Brasil, necessariamente levará a uma reformulação do uso da água no país. Hoje, no balanço geral, a agricultura responde por cerca de 70% do consumo de água, e com certeza tende a aprimorar a forma de utilizar os recursos hídricos. Pois a Embrapa Monitoramento por Satélite, de Campinas, tem desenvolvido uma série de ferramentas que podem repercutir em um uso mais sustentável da água na agricultura.

Muitos projetos relacionados ao melhor uso de recursos hídricos estarão entre os trabalhos apresentados pela Embrapa Monitoramento por Satélite no XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), a ser realizado em abril, em João Pessoa (PB). Neste ano, a Embrapa Satélite bate recorde de participação, com 41 trabalhos inscritos. Além disso, a Embrapa Monitoramento por Satélite coordenará a Sessão Temática “Aplicações de LiDAR em Florestas Tropicais”, em parceria com o Serviço Florestal Americano e a Nasa.

Recursos hídricos – Um dos trabalhos relacionados ao melhor uso de recursos hídricos é “Estimativa de evapotranspiração e da biomassa de pastagens utilizando o algoritmo SAFER e imagens MODIS”, co-assinado por Ricardo Andrade, Antônio Teixeira, Janice Leivas, Sandra Nogueira, Gustavo Bayma-Silva, Daniel Victoria, Alexandro Facco. Na mesma linha, “Aplicação do algoritmo SAFER na determinação da evapotranspiração em condições de sazonalidade climática no noroeste paulista”, de Renato Franco, Fernando Hernandez e Antônio Teixeira.

SAFER é a sigla em inglês para Surface Algorithm for Evapotranspiration Retrieving. Este é um dos recursos tecnológicos que a Embrapa Monitoramento por Satélite vem utilizando para desenvolver o conceito de “produtividade da água” aplicado à agricultura.

“Trata-se de dimensionar quanto de biomassa é produzida por água consumida”, explica o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Monitoramento por Satélite, Édson Luis Bolfe. Com o uso de satélites e outras tecnologias, é possível analisar a “produtividade da água” apresentada por culturas de cana, soja, trigo e milho, entre outras, em determinadas mesorregiões.

Após o mapeamento, observa o pesquisador, é possível indicar ações de política pública para melhorar a “produtividade da água” de uma cultura em área específica. “Verificar qual cultura, nessa região, consome mais ou menos água é importante para ações como o incentivo a novos equipamentos de irrigação, assistência técnica ou uso de novos cultivares que melhorem a produtividade da água”, completa Édson Bolfe. Ele acredita que, em função da crise hídrica, o uso desse tipo de tecnologia tende a ganhar maior impulso.

Agricultura de Precisão – Também na linha de aplicação tecnológica para aprimorar o uso dos recursos naturais em geral e hídricos em particular em tempos de escassez e incertezas derivadas do aquecimento global, a Embrapa Monitoramento por Satélite tem desenvolvido estudos associados à chamada “Agricultura de Precisão”.

Este é um campo cada vez mais promissor de pesquisa e desenvolvimento, focado no melhor dimensionamento dos insumos aplicados em determinadas culturas agrícolas. Com as ferramentas aplicadas pela Agricultura de Precisão, como o monitoramento por satélite, é possível avaliar, por exemplo, a fertilidade do solo, de modo que seja aplicada a quantia exata de corretivo para viabilizar o desenvolvimento de um produto agrícola.

“Essas técnicas permitem minimizar o custo por produtor, além de repercutir na melhoria das condições ambientais”, explica Édson Bolfe.  O uso de certas ferramentas, ele destaca, permite a subdivisão de uma propriedade ou área agrícola em pequenas áreas, gerando então informações geográficas georreferenciadas, relacionadas a recursos hídricos, aplicação de defensivos e propriedades físicas dos solos, entre outros pontos.

O Brasil se consolida a cada ano como grande polo agrícola. O país também tem tecnologias cada vez mais sofisticadas, como as desenvolvidas na Embrapa Monitoramento por Satélite, para que essa agricultura seja de fato sustentável.  (Por José Pedro Martins) 

AVANÇOS TECNOLÓGICOS AMPLIAM CARDÁPIO DE RECURSOS

Como em todas as áreas de pesquisa e desenvolvimento, também no campo do monitoramento por satélite as tecnologias estão avançando rapidamente, o que permite ampliar o cardápio de recursos à disposição da sociedade, visando um desenvolvimento mais sustentável ambientalmente e justo socialmente.

Um primeiro avanço importante, como nota o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Monitoramento por Satélite, Édson Luis Bolfe, foi a ampliação da resolução dos satélites. A alta resolução disponível hoje, nota ele, permite imagens multiescalares. “De casa, a pessoa tem acesso pelo computador a imagens de satélites com alta resolução e várias escalas”, comenta.

Outro salto ocorreu na esfera da resolução temporal. Antes os satélites demoravam para passar pela mesma posição geográfica. Hoje, a rede de satélites existente viabiliza a resolução diária. Com isso, observa o pesquisador, é possível por exemplo verificar a evolução de uma área desmatada em poucos dias.

Édson Bolfe também cita no elenco dos avanços tecnológicos a sofisticação dos sensores de resolução espectral. “Antes havia poucas bandas espectrais, hoje temos satélites multi e hiperespectrais”, diz o chefe de pesquisa e desenvolvimento da Embrapa Monitoramento por Satélite, de Campinas. Com maior resolução espectral, é possível a “fotografia” do solo ou da cobertura vegetal com várias dimensões e texturas, levando a uma melhor compreensão dos vários aspectos biológicos e químicos de uma área ou recurso natural.

 

Rede de unidades da Embrapa: o Monitoramento por Satélite está localizado em Campinas

Rede de unidades da Embrapa: o Monitoramento por Satélite está localizado em Campinas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>