Comunidades de Ubatuba e Bragança Paulista fortalecem redes de desenvolvimento de base
Confecção resultante do Projeto Maré Alta, em Ubatuba (Foto Divulgação)

Comunidades de Ubatuba e Bragança Paulista fortalecem redes de desenvolvimento de base

Comunidades com perfis totalmente distintos, em Ubatuba e Bragança Paulista, litoral e interior paulista, respectivamente, consolidaram em 2015 redes de desenvolvimento de base, envolvendo vários parceiros. As redes são frutos de projetos implementados no âmbito do Fundo Comunidade em Rede, iniciativa que resulta de convênio entre a Inter American Foundation (IAF), dos Estados Unidos, e seis membros do Bloco Brasil da RedEAmérica: Instituto Arcor Brasil, Instituto Holcim, Fundação Otacílio Coser, Fundação Aperam Acesita, Instituto Votorantim e Instituto Camargo Correa.

Cada uma dessas organizações de investimento social privado definiu projetos que apoiariam, em suas respectivas áreas de atuação. No total, são onze projetos apoiados pelo Fundo, em quatro estados. A RedEAmérica reúne fundações e institutos privados, de vários países do continente. Os projetos em Ubatuba e Bragança Paulista são apoiados pelo Instituto Arcor Brasil, responsável pelo investimento social  privado do Grupo Arcor no país. Característica comum a todos projetos é a reunião de vários parceiros locais, para a construção e efetivação das redes de desenvolvimento de base.

Ubatuba – Cambury e Picinguaba, duas comunidades do litoral de Ubatuba, são os territórios do Projeto “Maré Alta”, apoiado pelo Instituto Arcor Brasil e que tem como proponente a APM da Escola Municipal “Iberê Ananias Pimentel” e como parceiros a Associação dos Moradores do Bairro Picinguaba, Associação de Moradores e Amigos do Cambury, Fundação Pró-Tamar, Instituto Bacuri, Prefeitura de Ubatuba – Escola Municipal “Maria do Carmo Soares” e Secretaria Municipal da Educação.

Foram várias reuniões para formar a rede “Maré Alta”, constituída em territórios com forte presença cultura caiçara e com uma natureza exuberante. Todo o município de Ubatuba, praticamente, está localizado em Área de Preservação Ambiental, por abranger uma das maiores proporções de Mata Atlântica preservada no litoral brasileiro. O município tem 83 mil habitantes.

Em função desse perfil social, cultural e ambiental das duas comunidades, o Projeto “Maré Alta” adquiriu uma configuração especial. Ações de educação ambiental, por exemplo, estão sempre presentes no Projeto, assim como oficinas de surf, beneficiando as crianças e adolescentes de Picinguaba e Cambury.

Oficinas de futebol, de jogos e brincadeiras e contação de histórias e apresentação de filmes na comunidade de Cambury são outras atividades no repertório do projeto. Atuando em um município com um desenho econômico próprio, com vocação para o turismo e os serviços, as organizações parceiras do “Maré Alta” também identificaram a oportunidade de consolidar uma linha de economia solidária e geração de renda. Essa ação resultou, inclusive, na criação de uma marca de confecção de mulheres da comunidade.

Reunião dos projetos de Bragança Paulista (Foto Divulgação)

Reunião dos projetos de Bragança Paulista (Foto Divulgação)

Bragança Paulista – Com 156 mil moradores, Bragança Paulista é um município industrializado com dois projetos apoiados pelo Instituto Arcor Brasil, como parte do Fundo Comunidade em Rede. Um é o Projeto “Fala Comunidade”, que tem como proponente a Associação de Produtores Rurais e dos Moradores dos Bairros do Agudo e da Estiva do Agudo, e como parceiros a Secretaria Municipal de Educação, as Escolas Municipais Rurais Estiva do Agudo e “Profa. Lenar Alvarez Santiago Acedo” e Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer.

No leque de atividades previstas ou já realizadas estão as oficinas de violão, dança, bonecos, vôlei e futebol infanto-juvenil e o Cine Rural, com exibição de filmes para moradores com pouco acesso a essa opção cultural.

A qualificação dos espaços escolares existentes nos territórios é um dos propósitos principais do Projeto “Fala Comunidade”. Atividades de complementação ao processo de ensino e aprendizagem dos alunos e a revitalização da quadra de areia da EM “Professora Lenar” são objetivos importantes nesse sentido.

Outro projeto em Bragança Paulista é o “Teia – Ações comunitárias articuladas”, que tem a Fundação Comunidade da Graça como proponente e como parceiros a Secretaria Municipal de Educação, APM da Escola Municipal “Prof.Orlando Pinto de Oliveira”, Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social (Semads), CRAS Santa Libânia, CRAS Águas Claras, CRAS Planejada e CRAS Julio de Mesquita, Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI e Posto de Saúde da Família Cidade Jardim.

Trata-se, portanto, de uma rede de parceiros mais ampla, com atuação em vários setores sociais. Em função desse formato da rede intersetorial, o Projeto “Teia” abrange outras modalidades de ação. Entre outras atividades, previstas ou já realizadas, estão oficinas de geração de trabalho e renda, no Posto de Saúde da Família Cidade Jardim, e palestras de temas como gravidez precoce e prevenção a DSTs, violência doméstica e consumo de drogas, no mesmo local e também em escolas. O projeto envolve, igualmente, a adequação do espaço físico da Fundação Comunidade da Graça e Escola Municipal “Prof. Orlando”, e identificação das necessidades da comunidade com apoio das associações, CRAS, posto de saúde e das escolas.

Em comunidades com identidades diferenciadas, a mesma busca da soma de parcerias pelo desenvolvimento local. Escolas e outros serviços públicos e organizações comunitárias, com apoio de instituições de investimento social privado. Uma metodologia pelo desenvolvimento de base e defesa de direitos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>