Corrida e Caminhada do Café, pela valorização do Instituto Agronômico de Campinas
Fazenda Santa Elisa, patrimônio do IAC e de Campinas (Foto Divulgação)

Corrida e Caminhada do Café, pela valorização do Instituto Agronômico de Campinas

Instituição pioneira do polo científico e tecnológico de Campinas, o Instituto Agronômico (IAC) é responsável por pesquisas que resultaram em grande parte dos alimentos consumidos pelos brasileiros. Apesar de sua relevância histórica, o IAC não tem recebido a atenção que merece do poder público e sociedade em geral, mas esse cenário pode começar a mudar com iniciativas como a Corrida e Caminhada do Café, que acontece neste domingo, a partir das 8h30. O percurso de 6 quilômetros passará por alguns dos pontos de destaque da Fazenda Santa Elisa, principal centro experimental do Instituto.

De fato, os participantes da Corrida e Caminhada do Café poderão conhecer um pouco mais sobre a história e a importância da cultura cafeeira na região de Campinas e no Brasil. O centro experimental começou a ser formado em 8 de fevereiro de 1892, quando foi instalado o campo de demonstração do IAC em terras da então “Chácara Santa Elisa”.

Localizada na área urbana de Campinas, no jardim Nossa Senhora Auxiliadora, a fazenda tem 692 hectares e 14 quilômetros de divisas e abriga sete centros de pesquisa do IAC: café, grãos e fibras, horticultura, solos, ecofisiologia e biofísica, fitossanidade e recursos genéticos vegetais. Os prédios de pesquisas, administração, laboratórios e estufas são rodeados por bosques, gramados e coleções raras de plantas nativas e exóticas.

Na Fazenda Santa Elisa está, de fato, um dos maiores projetos de preservação de árvores nativas e exóticas do Brasil, fruto do trabalho de décadas do professor Hermes Moreira de Souza. Formado na Esalq, em Piracicaba, ele dedicou-se por 42 anos à Botânica. Trabalhou na Seção de Floricultura do IAC de 1962 a 1984.

As primeiras águas do ribeirão Quilombo, afluente do rio Piracicaba, nascem nessa área ambiental. O percurso contempla a passagem por ruas com cafés, lagos, plantações variadas, o histórico Centro de Café que tem o nome do renomado pesquisador Alcides Carvalho e o bambuzal em forma de corredor plantado pelo Barão Geraldo de Rezende para a sua filha albina se proteger do sol. Alcides Carvalho é considerado um dos maiores nomes da pesquisa em café no mundo.

O professor Ali El-Khatib, idealizador do Campinas Café Festival, entidade responsável pela realização da “Corrida e Caminhada do Café”, afirma que o evento esportivo e cultural também tem como objetivo mostrar o trabalho do Instituto Agronômico de Campinas e outras entidades, como a Unicamp, para a pesquisa e desenvolvimento do segmento cafeeiro no Brasil.

“O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo. O café é um alimento saudável, consumido pela maioria dos brasileiros. A corrida tem como tema: ‘Café – O Aroma do Conhecimento e o Sabor da Felicidade’”, afirma. Ele acrescenta que há 35 anos divulga através de eventos a cultura árabe no Brasil, que tem no café um dos seus expoentes. O evento no IAC também terá apresentação de danças árabes, barracas de venda de café e doces típicos.

Mais sobre a corrida e caminhada Serão realizadas provas de corrida 6k e caminhada 5k, na categoria masculino e feminino, em cada uma das faixas etárias: 16 a 24 anos, 25 a 34, 35 a 44, 45 a 54 e mais de 55 anos. Para as crianças de cinco a dez anos ocorre a Corrida Kids, com no máximo 50 participantes.

O percurso será de 50 metros para os pequenos de cinco a sete anos e 100 metros de oito a dez anos. Serão premiados com troféus os cinco primeiros colocados na corrida geral – masculino e feminino e com medalhões os três primeiro colocados de cada categoria (masculino e feminino), em cada uma das faixas etárias.

Um comentário

  1. Olá, boa noite! Quando vai ser? Como faz para participar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>